Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

SABIA QUE AS MULHERES MUÇULMANAS NÃO USAVAM BURCAS OU HIJABS ANTES DOS ANOS 80?

Mäyjo, 23.02.16

AFEGANISTÃO

“Enquanto criança, lembro-me da minha mãe usar mini-saia e de nos levar ao cinemaA minha tia andou na Universidade de Cabul.” - Horia

As mulheres afegãs começaram a votar em 1919 - um ano depois das mulheres no Reino Unido e um ano antes das mulheres nos EUA. 

Cabul, Afeganistão, 1972
Cabul, Afeganistão, anos 60
Cabul, anos 60
Aula de Biologia na Universidade de Cabul
Escola
Sala de aula
Aeroporto de Cabul
Loja de música, Cabul, anos 60
Coro vocal afegão
Estudantes da Universidade de Cabul, anos 60
Estilista Safia Tarzi no seu estúdio, Cabul, 1969
O Afeganistão na Vogue de dezembro de 1969
Fotografia da Vogue de 1969
IRÃO
Mulheres protestam contra o uso forçado do hijab, Irão, março 1979
Mulheres iranianas protestam contra a lei do Hijab, em Teerão, 1979 | Fotógrafa: Hengameh Golestan
IRAQUE
Em 1933, matriculou-se a primeira mulher iraquiana em Medicina. 


Um grupo de alunos da Universidade, em Bagdade, em 1950
Um grupo de alunas da Faculdade de Medicina da Universidade de Bagdade, 1969
Estudantes em Bagdade, em 1939
Enfermeiras iraquianas
Aula de desenho, Bagdade anos 50
Concorrente do Iraque a Miss Universo, 1972



EGITO
Universidade do Cairo, Egito
Praia, anos 50
Mulher polícia, anos 60

 

Fontes: The Guardian, Amnesty International UK, Diario Norte, Feminist Pics, Dorar Aliraq, Egyptian Streets

 

Libertadas 51 crianças e mulheres da minoria religiosa yazidi

Mäyjo, 01.02.15

Um grupo de 51 crianças e mulheres da minoria religiosa yazidi, sequestradas pelos "jihadistas" do movimento extremista Estado Islâmico, foi, libertado por combatentes peshmergas, as forças da região autónoma iraquiana do Curdistão.

 

Manifestação de curdos yazidis em Oldenburg, na Alemanha

 

A informação foi confirmada por Ashti Kuyar, comandante das forças do Monte Sinjar, responsáveis pela libertação dos reféns. O militar curdo preferiu não fornecer mais informações sobre a operação de resgate, alegando motivos de segurança.

Ashti Kuyar referiu que o grupo de reféns está neste momento na zona do Monte Sinjar, no norte do Iraque, acrescentando que as crianças e as mulheres vão ser transportadas, via helicóptero, para a província de Dohuk, terceira cidade do Curdistão iraquiano.

O EI ocupou no passado dia 3 de agosto a cidade de Sinjar. Na altura, os 'jihadistas' sequestraram centenas de mulheres da minoria religiosa yazidi, transferindo-as posteriormente para diferentes prisões localizadas no norte do Iraque.

Em finais de junho passado, o EI proclamou um califado nas zonas que controla na Síria e no Iraque.

Desde então, mais de 500 mil yazidis e membros de outras religiões minoritárias fugiram do norte do Iraque e algumas centenas foram assassinados, segundo os dados das Nações Unidas.

Os yazidis são uma comunidade ancestral que vive na zona norte do Iraque e em algumas partes da Síria e da Turquia.

Esta minoria religiosa mistura elementos de várias tradições religiosas, como o zoroastrianismo, que chegou a ser a religião maioritária na antiga Pérsia, mas também do Islão e do cristianismo. A minoria é particularmente repudiada pelos islamitas sunitas, que apelidam os yazidis de satânicos.

Na semana passada também foram libertados cerca de 200 yazidis que estavam nas mãos dos rebeldes mujaidines, incluindo 50 crianças.

 

in:  http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=4225791&page=-1